Síndrome do intestino irritável  - Dieta com baixo teor em FODMAP

A dieta com baixo teor em FODMAP (do inglês Fermentable Oligo-, Di-, Mono-saccharides And Polyols) foi desenvolvida para minimizar as queixas intestinais dos doentes com síndrome do intestino irritável (SII). Este conjunto de açúcares e polióis, há muito referenciados pela sua malabsorção intestinal, aumentam o conteúdo de água luminal e são altamente fermentáveis pelas bactérias intestinais, potenciando mudanças de fluidos dentro do intestino e contribuindo para os sintomas comuns de SII: inchaço, dor abdominal, flatulência e obstipação/diarreia. 

Mulher em dor

 A dieta com baixo teor em FODMAP contempla 3 fases:

1ª Fase  - Exclusão/Restrição: A primeira fase pressupõe uma exclusão total ou parcial dos alimentos com teor elevado/moderado em FODMAPS e dura entre 4 a 6 semanas;

2ª Fase - Reintrodução: Na segunda fase há uma reintrodução isolada de alimentos com elevado teor em FODMAP, de modo a testar a tolerância a cada um dos subgrupos, identificar os alimentos que produzem sintomas e os que são bem tolerados.

3ª Fase - Personalização: Por último, a individualização e modificação da dieta a longo prazo com baixo teor em FODMAP é baseada na resposta à reintrodução alimentar segundo a quantidade, combinações de alimentos e preferências. 

Cesta de maçãs

É importante referir que a Síndrome do Intestino Irritável tem sintomatologia comum a outras patologias intestinais e deve ser correcta e efectivamente diagnosticada por um gastroenterologista. A aplicação da dieta com baixo teor em FODMAPS, ao melhorar determinados sintomas, pode mascarar outra patologia intestinal sub-diagnosticada. É importante ter um diagnóstico correcto antes de proceder a qualquer alteração.

A  dieta com baixo teor em FODMAP não deve ser mantida indefinidamente por mais de 6 semanas e não é, de todo, uma dieta ou abordagem "para a vida". Alguns FODMAPS são pré-bióticos e determinantes na saúde intestinal, a sua restrição a longo prazo teria custos elevados na saúde. Esta abordagem pressupõe sempre uma reintrodução alimentar e apenas a exclusão dos FODMAP/alimentos mal tolerados.

A correcta execução da dieta melhora a sintomatologia em cerca de 75% das pessoas, mas no sucesso da mesma, é crucial a intervenção directa do nutricionista que explique e acompanhe todo o processo e garanta que todas as necessidades nutricionais são suprimidas.

A melhoria significativa dos sintomas e da qualidade de vida através da modificação e individualização da dieta a longo prazo,  são  os grandes objetivos da dieta com baixo teor em FODMAP.

Copyright © 2021 | Inês Tavares - Nutricionista - 1575N | Todos os direitos reservados