• Inês Tavares

As minhas ervas aromáticas favoritas



Quem gosta de cozinhar sabe que a utilização de ervas aromáticas é essencial a pratos saborosos. Alho, pimentão e pimenta preta são condimentos presentes na maioria das cozinhas portuguesas mas os seus cozinhados podem beneficiar de muito sabor pela adição de ervas em detrimento do sal. Percebo através das conversas com os meus pacientes que muitas pessoas ainda não conhecem ou utilizam ervas à excepção dos tradicionais coentros, salsa e loureiro.


Idealmente deve utilizar ervas frescas e as mesmas devem ser adicionadas no final da preparação de modo a não perderem aromas e compostos fitoquímicos. No entanto, normalmente são vendidas em grandes quantidades face à porção que será utilizada, gerando desperdício. Há ervas que pode congelar e utilizar em preparações futuras, como salsa ou coentros, mas nem todas podem ser reaproveitadas. Além da congelação doméstica, pode comprar ervas já congeladas e utilizar à medida do requerido. Tem ainda a opção das ervas secas com uma validade alargada proporcionando maior poupança, ou pode comprar em qualquer hipermercado vasos com ervas aromáticas frescas e ir colhendo à medida das necessidades.


Os exemplos enumerados abaixo são apenas as minhas ervas preferidas de entre a oferta existente que vai das ervas aromáticas mais tradicionais às mais exóticas! Se não utiliza, não receie experimentar novos sabores. Adicione em pequena quantidade, prove e acerte o tempero. Arrisque e vá fazendo combinações que lhe pareçam acertadas.



Alecrim

É usado em assados de peixe ou carne, aromatização de bebidas ou mesmo de azeites. Pode usar fresco ou seco, desfolhado ou em ramo.


Cebolinho

Fresco ou seco, vai lindamente com pratos de ovo - omeletas, tortilhas, ovos mexidos ou escalfados - sopas frias e pratos de peixe.


Coentros

São muitíssimo versáteis e podem ser usados frescos, congelados ou secos! Muito usados em pratos de peixe, mariscos ou bivalves, sopas e cremes, patés e molhos frios ou quentes.


Ervas da Provença

São uma mistura de ervas secas (tomilho, funcho, alecrim, orégãos entre outras) para carnes grelhadas, estufadas ou assadas. São muito versáteis e equilibradas nos aromas. (Adequadas a pseudo cozinheiros, categoria na qual eu me incluo!)


Loureiro

Essencial em marinadas de carne ou peixe, usa-se seco em assados, estufados ou caldeiradas.


Manjericão

É possivelmente a minha erva aromática preferida. Pode usar fresco ou seco, perfeito para molhos de tomate e pastas, algumas bebidas e pratos de peixe;


Orégãos

São um clássico da cozinha tradicional portuguesa, perfeitos para saladas, molhos, vinagretes, pratos com tomate ou queijo. Normalmente são usados secos.


Salsa

Outro clássico dos lares portugueses, pode ser utilizada fresca, congelada ou seca em carnes, peixes, molhos, patés, etc.


Sálvia

É ligeiramente apimentada e muito adequada a pratos de carne e caça, em empadas e pratos de borrego ou porco.


Tomilho

Usado principalmente seco, em folha ou ramo, em pratos de carne ou peixe, grelhados ou estufados.



Apesar de não usar com frequência, poejos, hortelã, funcho, cerefólio, segurelha, estragão ou endro são outros exemplos de ervas aromáticas que pode adicionar aos seus cozinhados. A salicórnia enquanto substituto do sal, merece um artigo que poderá ler em breve!





79 visualizações

Copyright © 2020 | Inês Tavares - Nutricionista - 1575N | Todos os direitos reservados